Me, myself and Pop will eat itself

archives


Sunday, March 31, 2002

 
achei uma coisa. esse e-mail eu mandei pra carmela em dezembro. nossa, como a caixa de itens enviados é instrutiva. É exatamente assim que eu estou me sentindo agora (tirando a parte do Maurício/Fabrício). Como é difícil resolver certas coisas.

----- Original Message -----
From: Manuela Martini Colla
To: Carmela Toninelo
Sent: Tuesday, December 29, 2001 7:25 AM
Subject: what had you heard, was it love, was it take another walk in the dark?

(warning: esta mensagem eu escrevi bêbada, num arquivo do word – daqueles que, de tão bêbada, a gente salva com o nome das primeiras palavras do texto, no ‘meus documentos’). Já tô com vergonha, mas foda-se, ando genuína demais para fingir. Behold, não é só por um texto. Tem a participação do gato Félix. Não é nada ‘amorável’, como sempre me chama meu querido Mojo, mas lembre-se de que meu lema de vida vem de Thom Yorke: Immerse your soul in love. Em caps lock.

Várias, várias histórias para contar. Tu não vai acreditar. Já te falei pelo telefone. Três coisas que eu mais gosto no garoto Fabrício/ Maurício (aliás, cheguei ao limite dos meus porres: o nome do guri é Fabiano, nada a ver com as suposições anteriores).
Ele é brega.
Ele não me espera entrar em casa para ir embora.
Ele não tem idéia de quem é o Rilke.
Paixões falsas não são lindas?
E eu não vou namorá-lo, nem com aquela caixa de bombons em formato de coração que ele me deu, nem com os erros de português do cartão, nem com os Marlboros divididos. Nem com o pedido oficial, feito há algumas horas, depois que desliguei o telefone de falar contigo.
Sei lá, esses fumeta são impossível, como me diz o Mojo (ando com saudades dele). O garoto Fabiano só estava ali. Ali, sabe? Fica um pouco mais longe. Talvez onde morem meus cabelos lisos. E eu aposto que ele não almoça pessoas tristes.

Quem dera essas repetições todas que eu faço fossem um recurso literário. São, na real, um monte de gargalhadas dadas de graça. Eu quero mais é ouvir uma pessoa consciente rindo, isso sim algo raro de encontrar.
Tenho dormido pouco, e mal. Ontem, por exemplo, fiquei assistindo um documentário qualquer na tevê, o que me fez acordar às três da tarde, me sentindo como aquelas pessoas que ficam em casa nos sábados à noite vendo o comercial das facas Ginsu.

Isso não é engraçado, by the way. Tem gente ficando sozinha, sozinha pra caramba. É que reclamar é a melhor maneira de se comunicar, já notou? Na real, essa é a única afirmação que eu posso fazer sobre a minha geração. Isso, e as calças puídas. A única coisa verdadeiramente moderna são as calças puídas, tu sabe que eu penso isso – mesmo depois da quinta cerveja da noite.

Frank Sinatra, Cams! Meu pai me emprestou o cd:

And now, the end is here
And so I face the final curtain
My friend, I'll say it clear
I'll state my case, of which I'm certain
I've lived a life that's full
I traveled each and ev'ry highway
And more, much more than this, I did it my way

Regrets, I've had a few
But then again, too few to mention
I did what I had to do and saw it through without exemption
I planned each charted course, each careful step along the byway
And more, much more than this, I did it my way

Yes, there were times, I'm sure you knew
When I bit off more than I could chew
But through it all, when there was doubt
I ate it up and spit it out
I faced it all and I stood tall and did it my way

I've loved, I've laughed and cried
I've had my fill, my share of losing
And now, as tears subside, I find it all so amusing
To think I did all that
And may I say, not in a shy way,
"Oh, no, oh, no, not me, I did it my way"

For what is a man, what has he got?
If not himself, then he has naught
To say the things he truly feels and not the words of one who kneels
The record shows I took the blows and did it my way!


Abraços,
Sic sic

Manu.

Regime de Frank e Radiohead. The Bends no repeat de uma madrugada solitária de uma menina que faz questão de permanecer no caos. E acha bom. Como é que eu consigo usar a palavra ‘cool’ em frases minhas, me diz, como, Cams? Deve ser por isso que eu não tenho dormido. Eu não ia agüentar se tu ficasse triste depois disso, mas entenda, pessoas sharéis são difíceis de encontrar. Delírios tristes em madrugadas como essa perdem a graça sempre, porque são lidos por pessoas sóbrias no trabalho. Eu me sinto cancerosamente ridícula falando isso. É que não existem assuntos únicos: existem mentiras únicas. Viver é mais engraçado. Entende porque eu falo tanto de amor? A gente acha que vai sofrer menos porque somos pessoas boas? Responda só o que te perguntei.

Don't forget tonight tomorrow though we may be far apart,
If you forget tonight tomorrow, you'll leave me with a broken heart.
Are your kisses only mine tomorrow, say you love me and you will be true.
And don't forget tonight tomorrow, don't forget that I'm love with you.

*fade out again*

Ps: Me avisa quando tu descobrir como as pessoas conseguem dinheiro para comprar carros, apartamentos, terrenos, essas coisas? Estou tentando.

-- End of forwarded message --

posted by manu 1:16 PM

 
Pensamentos soltos na viagem interurbana sempre me agradaram. Eu fico horas e horas dentro do bus, então coloco meus cd's legais e fitas todos na minha mochila e chamo isso de mala. Então, sento do lado de alguém rabugento que sempre desce em farroupilha (meus parceiros sempre descem em farroupilha) e fico o resto da viagem pensando na minha vida – isso em grande escala.
Sexta, por exemplo, eu estava pensando o que eu acharia de mim mesma se eu, adolescente, pudesse me olhar agora. O pior é que cheguei à conclusão de que eu ia gostar do que via, sabe. Não estou falando de empregos (meu sonho, na adolescência, era trabalhar numa loja de cd’s, mas muuuuito antes de isso lembrar o Rob Flemming), e sim de amigos – e eu, também. Eu acho que tenho os melhores amigos do mundo. Eles são os melhores – never let me down e tudo o mais. Tudo o que uma menina magricela e grunge sempre quis ter na vida: a companhia de pessoas legais. O meu maior orgulho de toda a faculdade, e isso eu nunca vou esquecer, foi quando o Neco e o Seade me convidaram para entrar no Musiczine. Lembro de um dia em especial, quando os dois me encontraram num corredor da Unisinos e perguntaram: “E aí, maninha, cadê aquele texto do blur que tu prometeu?”. Acho que os momentos com os meninos do MZ foram simplesmente espetaculares, e me orgulho de relê-los, só para apontar os inúmeros erros, lembrar das brigas, dos porres homéricos de vinho Trebom nos sábados à tarde. Man, eu saía de casa no sábado à tarde, depois do almoço, ia de trensurb até POA e depois ia pra casa do Seade, lá no Santana, e depois ia até Teresópolis, só para fazer o zine. No amor. Olha, se tem uma coisa que eu fiz nessa vida foi escrever pra fanzine. E o que eu mais tenho saudade é o MZ. A viés não conta como fanzine, óbvio.
Lembrei agora da primeira entrevista que eu fiz pro MZ. Foi com Os the darma lóvers, por telefone. Eu lembro que não tinha pauta nenhuma, e acabei ficando amiga do Nenung a ponto de passar finais de semana inteiros com ele lá no Templo, por causa dessa entrevista. O que eu fiz, basicamente, foi jornalismo de segundo grau, mas essa parte não foi publicada. É que a gente se levava a sério. Mas eu comecei a perguntar pra ele o que ele achava do Raul Seixas. Imagina! Ele teve um acesso de riso e começou uma longa digressão, tão engraçada quanto impublicável, sobre violões e barbas. Ele era afudê.
Por isso, se quando eu crescer eu trabalhar com jornalismo cultural (acho brabo), tem que ser jornalismo de segundo grau. Quero saber como as pessoas gostam das suas pipocas, o que elas fazem depois dos shows,.... como se fosse um daqueles caderninhos de questionário da escola. E eu precisei de todos esses anos de faculdade para voltar a escrever assim – porque isso, sim, é coisa de quem está começando a faculdade. Eu não entendo o jornalismo burocrático, porque simplesmente ele esquece do mais importante: PESSOAS VÃO LER. E, se tu não escrever um texto saboroso pra ti, pra quem ele vai ser saboroso? E, tanto se procura “a verdade”... mas quem aí não se gela na frente de um microfone? Raros, raros. Resumindo: vou recrutar uns calouros e botar todas as bandas gaúchas em uma mesa de bar e fazer algo acontecer com elas.

---

Eu estou a três semanas sem consumir bebidas alcoólicas. Deu pra perceber, queridos?

posted by manu 1:04 PM


Wednesday, March 27, 2002

 
música para entrar no mood:

I don't want to sit
Across the table from you
Wishing I could run
I want to love you madly

posted by manu 5:36 PM

 
isso é um recado para o thomas: não sou boa em contar letrinhas. tão tá. te cuida no feriado, nada de beber demais. :)
posted by manu 5:32 PM

 
esqueci de contar: cortei os cabelos. curtinhos, curtinhos. estou estranhando, ainda. pior é a carmela me chamando de felicity.

vou ver se bato uma foto recente para colocar aqui. tem também umas mudancinhas que quero fazer daqui a uns dias, mas manterei todo mundo informado.

[perceberam? daqui a uns dias esse blog vai virar release]

putz, acabei de ver uma propaganda muito cruel... de adoçante. só podia. era mais ou menos assim: um bolo de casamento tradicional, com dois bonequinhos de noivo e noiva em cima dele. só que eles são gordinhos. e aí tem a frase: 'o mundo nunca vai ser assim'.

mas que bosta de propaganda, cara. dá vontade de colocar meu vinil do rocket to russia embaixo do braço e sair chutando todas as pombas da rua da praia.

posted by manu 2:00 PM

 
the years go fast and the days go so... slow

tenho tido vários pensamentos que tento guardar para postar aqui, mas sempre acabo esquecendo. acho que é porque ando ouvindo moby. pode? eu, ouvindo moby? e ainda por cima, não me sai da cabeça o versinho: 'i never mean to hurt you, i never mean to lie, so this is goodbye, this is goodbye'. eu acho muito bonito esse verso.

mas meus pensamentos geralmente são sobre o sistema de transporte coletivo, coisas assim. ontem mesmo aconteceu uma coisa interessante. quem volta de central pra casa sabe que as luzes sempre vêm acesas, de noite. ontem, não. o motorista, que já virou meu amigo, desligou as luzes justamente na melhor música da minha fita nova: cat power, cross bones style. foi um momento de cumplicidade interessante dentro do ônibus, todo mundo que estava ao meu redor sorriu e se encostou nos bancos. quase me senti em casa.

uma coisa que me preocupa é: como as pessoas realmente podem vir a conhecer uma à outra? tenho pensado nisso e não vejo nenhuma saída plausível. sério, isso me preocupa porque acho que não conheço as pessoas, nem elas me conhecem - inclusive ex-amores importantes e tudo. eu e a cams temos conversado sobre isso - se bem que agora a mocinha está toda de borboletas, tingles and everything.

:-)

e eu me distraio enquanto a sexta não vem. beeem legal o sodaplay. vão e se divirtam.

soundtrack: heart cooks brain, do modest mouse, no repeat. se quiserem baixar uma música só, pra conhecer a banda, tem que ser essa. um dos versinhos é o título do post. manuela, a menina das letras de música.
posted by manu 1:48 PM


Tuesday, March 26, 2002

 
soa herman hesse?
[sim]

soa holden caufield?
[também]

porque diabos eu acordei sentindo que sou só uma sombra, que ninguém gosta de mim?
[no excuses for this]

People live their lives for you on tv
They say they're better than you and you agree
Another doctor's bill, another lawyer's bill
Another cute cheap thrill
You Know you love him, if you put him in youy will but

Who willl save your soul when it comes to the flowers now
Who will save your soul after all the lies that you told, boy
Who will save your soul if you won't save your own

We try to hustle them, try to bustle them, try to cuss them
The cops want someone to bust down on orleans avenue
Another day, another dollar, another war, another tower
Went up where the homeless had their homes
So we pray to as many different gods as there are flowers
But we call religion our friend
We're so worried about saving our souls
Afraid that god will take his toll
That we forgot to begin but

Who will save your soul when it comes to the flowers now
Who will save your soul after all the lies that you told, boy
Who will save your soul if you won't save your own

Some are walking, some are talking, some are stalking their kill
You got social security, but it doesn't pay your bills
There are addictions to feed and there are mouths to pay
So you bargin with the devil, say you're ok for today
You say that you love them, take their money and run
Say, it's been swell, sweetheart, but it was just one of those things
Those flings, those strings, you've got to cut
So get out on the streets, girl, and bust your butts

Who will save your soul when it comes to the flowers now
Who will save your soul after all the lies that you told, boy
Who will save your soul if you won't save your own


posted by manu 10:38 AM


Friday, March 22, 2002

 
'keep close', do south. essa é a música de hoje. se bem que, na hora em que acordei (6:30) tava tocando the killing moon na MTV. e eu estou cantando ela o dia todo.

- entrevista da bebe buell dizendo que ELA é a penny lane, do almost famous. e eu achando que era a sable starr. eu acho que queria que fosse na sable, porque ela sim foi a groupie mais legal.

Director Cameron Crowe met Buell in 1973 when he interviewed Rundgren for Rolling Stone—and wrote “Almost Famous” with her picture taped to his wall. “I think she was 19 then, and she was, like, the queen, ” he told NEWSWEEK. “That was my first dose of girlfriend-as-muse—the girl who transcends ‘groupie.’ It was amazing just to see Todd and Bebe walking together. It was my first real blast of what romantic love looked like. When a beautiful woman actually loves you?! I’d never seen that up close before.”

posted by manu 3:50 PM

 
i'm moving wheels

a irmã do meu pai, que foi quem me criou, trabalhou a vida toda como coordenadora pedagógica de escolas. volta e meia, lá estava eu, lápis colorido e papel na mão, conversando com as 'tias' da direção do colégio, seja ele qual fosse. cresci dentro desse tipo de ambiente, envolvida com sinetas, giz e gurizada reclamona e brigona.

tudo isso voltou pro meu pensamento ontem, quando estive no anchieta. os corredores vazios na hora da aula, o burburinho nos banheiros, as quadras de basquete vazias e as filas na cantinha cheias de meninas bonitinhas. e o anchieta é igualzinho ao colégio onde eu estudei no segundo grau, com aquelas coisas de colégio católico e tudo o mais. lindo, lindo.

***

anteontem fui dormir às 3 e meia da manhã. eu simplesmente me rendi à falta de sono (e olha que o dia tinha sido beeeeem pesado), e fiquei zanzando pela casa, bebendo doses nada homeopáticas de chá e vendo tevê. Não sei porque, as noites de quarta-feira têm sido invariavelmente insones. deve ser a aula daquela chatonilda.

se bem que ontem a aula não foi nada chata. porque a cams e o felipe, depois de duas semanas sumidos, deram as caras.
da cams eu falo mais tarde, até porque ontem tivemos um momento sharing bem legal. eu quero mesmo é falar do felipe.

o felipe, eu via por aí desde o começo da faculdade, quando eu andava com a roberta. ele ainda não tinha dreadlocks naquela época, mas já era triquerido e me chamou a atenção numa aula em que o professor perguntou para a gente qual era a coisa que a gente mais amava na vida. ele disse 'pixies'. pensei: "deus, TENHO que conversar com esse garoto".

até que, num semestre distante, fui colega da melhor amiga dele. e ela me emprestou uma pasta repleta de textos de ficção do menino. eu, que ainda nem tinha começado no zine, adorei. acreditam que eu comecei a chorar no meio da aula de português III? o guri escrevia muito, muito bem. o felipe escreve textos de uma maneira em que eu jamais sonharia escrever. ele é um escritor do caralho, e não tem nada publicado em lugar nenhum (talvez por isso). e, como se não bastasse, ele sorri, abraça e toma café em xícara de porcelana. não pensem mal, por favor. vocês sabem que ter um amigo que gosta de sebadoh é raro. eu adoro o felipe, grande garoto da faculdade.

e eu escrevi tudo isso para dizer que ontem eu ganhei uma camiseta do 'Againe' dele. não sabe que banda é essa? informe-se. é muito boa. e a camiseta é usada, toda mulambenta. viu, mãe?
:-)

***

pelas próximas duas semanas, não quero ouvir os termos "segunda via", "xerox autenticado", "requerimento" e "comprovante". grata.

***

ontem eu fiquei com medo dos Cinzas. mas parece que, como os killers, a banda que é o new order em 'crystal', eu fiquei leve e nem me importei com nada nem ninguém. sorri para todo mundo na rua. eu sorri pra caramba hoje, poderia ser considerado a porra do Dia Colgate ou algo que o valha. tinha sol, tinha ventinho, tinha kinks e a minha fita perfeita de rock and roll. aquela, que eu postei lá no cotonetes. tenho certeza que, depois do sucesso da fitinha raivosa no ano passado, a soundtrack do T 7 vai ser a fita, essa.

***

novidades da cams: a gente encontrou ontem à tarde para comprar o presente do flávio e rimos um monte (ela também estava no limite do cansaço físico) na livraria. sei lá o que deu na gente, parecíamos duas garotinhas deslumbradas. acho que era porque ela estava de encontro ontem. bah, eu sempre fui com a cara dessa menina fernanda, acho que é uma boa partida pra cams. estou louca para saber como foi (ficaram? compraram uma bicicleta?). acho que vou ligar pra carmela agora. heh. ela vai me matar quando ler que eu contei pra todo mundo que ela ia sair com uma menina nova ontem. ops.

***

e aí? tenho que fazer a frente da minha vida, agora. are you gonna go my way?

posted by manu 1:54 PM


Wednesday, March 20, 2002

 
true love waits.

gripe, gripe, gripe. odeio burocracias, ainda mais quando estou com a cabeça doendo, com o nariz vermelho e com uma noite mal dormida.

mas estou feliz, não estranhe. consegui o job no anchieta. vou me virar, vou me virar. prometo. tenho dois dias para visitar o anchieta de novo, falar com o ciee e fazer a carteirinha de estudante pras paxágis. e curar a gripe e ir para a aula e fazer três entrevistas até sexta.

credo, que reclamona. vou até o fratello beber uma coca e rir pro céu moscow.

posted by manu 4:03 PM


Tuesday, March 19, 2002

 
"nú... eu acho que tá tocando neil young na rádio agora..."

e não é que estava mesmo? nesta tarde sem abraços, sem chá quentinho nem pastilhas para dor de garganta, tocou neil young na rádio unisinos, de modo que tudo vai ficar bem. e a cams me avisou. isn't she the coolest?

eu quero o outono. e vocês? eu não confio em nenhum verão que acabe com uma banda legal como a video hits.

posted by manu 3:48 PM

 
lembro de um certo episódio que aconteceu há pouco tempo atrás. eu estava voltando da mercearia da esquina com a jordana, e ela me perguntou quais seriam meus três pedidos se eu encontrasse um gênio e sua lâmpada mágica. não lembro direito dos três, mas sei do primeiro. era algo do tipo 'nunca me contentar com a minha mediocridade'. putz, como reforço isso. como estava falando com o quacker por e-mail, eu estou com seqüelas de tanto tempo no mundo 'normal', bastante coisa musical, bastante coisa comportamental. eu mesma sinto, ninguém me deu o toque.
sei lá, estou meio que numa crise existencial intelectual. que meda.
Para provar toda a densidade cultural da minha pessoa, coloco a letra da música que mais tenho escutado no centralão, a caminho de casa. Ladies and gentleman...

Cherry bomb
-- The Runaways -- (porque eu queria ser a Joan Jett quando tinha 14 anos)

Can't stay at home, can't stay at school
Old folks say, ya poor little fool
Down the street I'm the girl next door
I'm the fox you've been waiting for

Hello Daddy, hello Mom
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Hello world I'm your wild girl
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb

Stone age love and strange sounds too
Come on baby let me get to you
Bad nights cause'n teenage blues
Get down ladies you've got nothing to lose

Hello Daddy, hello Mom
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb
Hello world I'm your wild girl
I'm your ch ch ch ch ch cherry bomb

Hey street boy whats your style
Your dead end dreams don't make you smile
I'll give ya something to live for
Have ya, grab ya til your sore


Preciso escrever a coluna do punknet, rapeizo. Ao menos já sei o tema: VU e Lou Reed. Vou ali escrever isso e já volto.

Ps: Cams, tks pelo cd do Primal Scream. Essa chorna é boa, sabe.
posted by manu 1:44 PM


Monday, March 18, 2002

 
o tema de hoje é: teen pop sucks.

do alto do meu humor 'explodindo em sabores de frutas'.

nada de final de semana, hoje.
posted by manu 3:57 PM


Saturday, March 16, 2002

 
caras, meu computador está atualmente em nova prata.

e minha vida está onde meu computador está.

caraca, como estou feliz aqui. como estou feliz hoje.

(desse jeito vou virar uma ripe, mas eu tinha que dividir)

posted by manu 7:56 PM


Friday, March 15, 2002

 
lembrei do irmão biscoitinho da cams (e meu também, por tabela). isso porque cheguei à conclusão de que a música da tarde de hoje é do weezer. e a frase mais perfeita é simples demais:

.. we'll never feel bad anymore.

posted by manu 4:55 PM

 
"mas aí tu chega todo colorido e a guria pá... assim não dá, manu, não dá!!".

meus amigos realmente sabem se comunicar.

organizações manu colla apresentam: mais um sumiço da vida virtual. é que estou fazendo entrevistas para um emprego novo. assessoria de imprensa do colégio anchieta. quem diria, hein? o träsel vai rir muito da minha cara se eu for admitida, porque eu passei noites inteiras rindo da cara dele por ser anchietano. alguém mais que eu conheço é de lá, acho que o michael.

de qualquer maneira, eu vou me divertir. eu sempre me divirto.

[saudades de café no buenos aires, também.]
posted by manu 3:55 PM


Thursday, March 14, 2002

 
i © assholes
posted by manu 10:46 AM

 
uma das coisas que eu não entendo é o comportamento das pessoas no trensurb. sinceramente, porque todo mundo têm que ficar com aquela cara de 'estou morrendo aqui', ou, pior, manter aquela índole de 'sou trabalhador, não tenho grana para o central, veja como sou simples'. quer dizer, claro que não acredito que as pessoas ficam pensando nisso, mas é incrível como o comportamento das pessoas é baseado no que elas acham que os outros esperam delas - no caso, alguma coisa 'acima'. quando eu morava no prédio mais chumbrega de São Leopoldo, apelidado pela minha irmã de 'cohab centro', as pessoas nem se olhavam na cara. provavelmente eles pensavam que esse era o comportamento da classe média, ou média-alta: ser antipático, olhar só pro próprio umbigo. agora, que moro num lugar mais ajeitadinho, as pessoas são simpaticíssimas, querem ser minhas amigas e descobrir em que apartamento moro só para levar coisas do tipo geléia de melancia para estabelecer boa vizinhança.

Mas a real mesmo é que não há coisa mais carrancuda do que a classe média. e tenho dito.

ontem foi uma noite boa. o versinho seria:

my love has no reason
has no rhyme


sabe? simplesmente perfeito para descrever como eu estava me sentindo. como eu me sinto. acho.

posted by manu 9:21 AM


Wednesday, March 13, 2002

 
i'm a believer

outro dia, a carmela perguntou-me porque eu estava indo tanto para nova prata. ela sabe que, quando QUALQUER coisa dá errado por aqui, eu corro para lá. achou ainda mais estranho quando soube que o fabrício tinha me magoado e eu continuaria indo para lá, encontrando os mesmos amigos que os dele, incluindo o próprio.
o lance é que eu não sei o que tenho com nova prata. eu costumava dizer pro marcelo que eu era uma guria de alma dividida, por isso gostava tanto de neil young (a alma dividida-mor, vamos combinar): uma parte de mim só pensa em conseguir chegar a algum lugar profissionalmente, continuar com a rotina e tentar manter a vida 'normal' (incluso relacionamentos) aqui em porto alegre. mas a outra me faz chorar e dizer que sou uma jacu do interior, mesmo, que não entendo como as pessoas não ficam sem energia para fazer as coisas por aqui, e que preciso deitar na grama.
pois é, o fato é que ultimamente, a última alternativa tem sido a mais praticada. desde que voltei das férias, só fiquei aqui uma vez. eu gosto das pessoas de lá, porque são interessantes de ser observadas. eu gosto de lá porque tomo nescau quentinho antes de dormir, religiosamente. e meu computador anda por aquelas bandas. e todas as coisas que eu nem sei dizer, só sentir, e sentir MUITO.

bem, no más, hoje é um dia meio estranho. a cams tá triste, e eu não gosto de ver ninguém triste.

comigo? tá tudo jóia.

ps. michael, tenho que responder teu mail, ando preguiçosa pra caramba. mas eu e a cams estávamos falando no almoço em te convocar prum café antes da aula de sexta... que tal? a gente podia se encontrar aí pelas sete horas no fratello, só para botar as fofocas em dia. daí te mostro o anteprojeto;.... heheheh... que relapsa eu sou. mas tu sabe né gustavo, a gente não vai se basear pelo anteprojeto, tá todo focado no jornalismo da cousa. ai, como eu falo, por deus. vou trabalhar, acho.

canção de agora: 'just give me somethiiing/ i'll take nothing' (badly drawn boy)
posted by manu 2:59 PM


Monday, March 11, 2002

 
cams, nem sei como te agradecer. tu sabe que eu sempre quis ter um design by meltoni. e esse ficou tri querido, com verde que tu sabe que eu adoro (apesar de saber que é a cor das pessoas irritadas)

:-)

hoje não paro de ouvir "last goodbye", do jeff buckley. deus do céu, que música espetacular. alguém falou mal do disco novo do starsailor comparando com o jeff buckley.

e eu ainda acredito na raça humana.

[afudê a capa do love is here, aliás]


posted by manu 3:51 PM


Sunday, March 10, 2002

 
preciso testar de alguma forma, entummm, carmela assina este post tentando gostar do layout
posted by manu 3:32 PM


This page is powered by Blogger. Isn't yours?